magazinedmtech

domingo, 13 de fevereiro de 2011

A CURA AO LONGO DOS OITO ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Acreditamos que os oito estágios de desenvolvimento humano descritos por Erik Erikson são um bom caminho para entendermos não só o nosso próprio processo natural de maturação, mas também o processo pelo qual Jesus passou enquanto "crescia em sabedoria, em estatura e em graça" (Lc 2,52) (Veja tabela dos oito estágios à página 28 do livro ou na Postagem Anterior.) Escolhemos o trabalho de Erik Erikson por tê-lo julgado, de todos os esquemas psicológicos, o mais congruente com nossa fé cristã e com aquilo que aprendemos em nossas orações com Linda e com outros. Sentimo-nos muito especialmente ligados ao trabalho de Erikson em cinco aspectos.
A coroa de espinhos lavando todo o pecado da humanidade. É na DOR e no SOFRIMENTO que temos que mostrar a nossa maior VIRTUDE: O AMOR INCONDICIONAL POR DEUS.

O primeiro aspecto é a sua ênfase no que deve ser entendido por pessoa saudável. Muitos psicólogos realizaram estudos de patologias, e muito aprendemos com esses estudiosos. Mas Erikson acredita que não podemos realmente entender a natureza humana quando a vemos de maneira fragmentada; somente uma pessoa integrada e saudável é que pode nos delinear um quadro do que significa ser humano. A ênfase de Erikson na pessoa saudável permite-lhe concentrar-se nas possibilidades humanas, inclusive no desenvolvimento das virtudes e suas implicações no desenvolvimento espiritual. Sobre as virtudes, ele escreve: "Os romanos nos diziam serem elas aquilo que faz o homem ser verdadeiramente homem; e o cristianismo acrescentou o espírito para o homem e o sentimento para a mulher." Quando Erikson inicia sua abordagem pela saúde e não pela doença, faz eco à nossa crença cristã  de que o BEM se antepõe ao MAL, de que os seres humanos foram criados BONS e DIRECIONADOS a um desenvolvimento na plenitude de Cristo (cf. Ef 3, 14-21; 4, 13-16). Por ocasião da oração com Linda, quando me tornei sua amiga, aprendi que a única e mais importante coisa que fiz por ela foi enxergar  a bondade e o potencial de saúde que tinha dentro de si. Quando a vejo sob esse prisma - o que acredito só possa ser feito porque Jesus me ajuda a ver Linda como Ele mesmo a vê -, ela se torna cada vez mais essa pessoa que vejo.
Eu e a Vida! Juntos a caminho do Sol.

O segundo aspecto de acordo com o qual nos sentimos ligados ao trabalho de Erikson é a sua crença de que o desenvolvimento anteriormente perdido pode vir a ser reconstruido depois e de que tudo pode ser curado: "São poucas as coisas que não podem ser remediadas mais tarde, mas muitas são as que se podem prevenir, impedindo que venham a acontecer." Toda a nossa crença no poder da oração de cura repousa sobre a veracidade da afirmativa de Erikson, e nós repetidamente constatamos que não há nada que Jesus não possa curar. No caso de Linda fomos percebendo serem gradualmente curados os efeitos do abuso sexual violento e dos anos de desenvolvimento emocional perdido.
O terceiro aspecto é que Erikson enfatiza o desenvolvimento psicossocial (no qual o principal direcionamento diz respeito aos relacionamentos sociais maduros) antes que o desenvolvimento Psicossexual de Sigmund Freud (no qual o direcionamento principal se volta para o atendimento das necessidades sexuais). Por causa de sua perspectiva psicossocial, Erikson vê a comunidade inteira como parte do processo de cura. Quando Erikson começava a tratar de um paciente, era comum ir à sua casa para jantar com ele, de modo que pudesse observar a Família e melhor entender o valor daquilo que nós chamamos de comunidade cristã. Nesse tipo de comunidade, Deus encontra muitos canais, além de nossos próprios pais, para nos AMAR, tais como professores, amigos, etc. No caso de Linda, eu vim a ser a fonte de boa parte do amor materno que ela perdera na infância, e Matt e Dennis foram como irmãos para ela.
A Sagrada Família - Jesus, Maria e José. Nós todos deveríamos ter esta Família como exemplo, mas nem sempre a nossa família segue o exemplo da Sagrada Família e é por isso que acontecem os CONFLITOS FAMILIARES.

Quarto aspecto, Erikson vê o crescimento como um processo ao longo de toda a vida, apresentando sempre novas oportunidades de se descobrirem DONS para AMAR. Foi ele o descobridor daquilo que hoje é tido como a força impulsora do desenvolvimento, uma visão do desenvolvimento humano que não se detém na infância, mas vê a adolescência, a juventude, a idade madura e a velhice como outros tantos estágios do crescimento. Para nós, a visão eriksoniana de crescimento ao longo da vida se assemelha à visão cristã de como o Espírito Santo está sempre nos renovando e reconduzindo a uma vida mais plena.
O Sexo dos Anjos!

O aspecto final que nos aproxima de Erikson é o seu sentido de como as forças e as fraquezas de cada estágio de desenvolvimento não são uma simples escolha, mas o encontro de um saudável equilíbrio entre o uso excessivo ou escasso de um DOM. Por exemplo, no primeiro estágio do desenvolvimento, a criança deve estabelecer um sentido de confiança básica, apresentando-se, como alternativa, a desconfiança. Mas a desconfiança não é de todo má, e criança que não tem desconfiança não demora para se queimar no primeiro fogão com que topar. Nosso modo pessoal de entendimento da fraqueza humana e do pecado é que o pecado é fundamentalmente o abuso ou a escassez  do uso de um DOM. Os pecados sexuais, por exemplo, são o uso excessivo ou escasso do DOM DA INTIMIDADE. Embora possamos dizer que o abuso sexual contra Linda bem como o abuso sexual praticado por ela contra outros tenham sido pecaminosos, eles foram fundamentalmente o uso incorreto do DOM DA INTIMIDADE. Para se livrar do pecado, Linda não precisava livrar-se de sentimentos sexuais fortes, antes, precisava canalizá-los adequadamente para que pudessem ser um VIGOROSO DOM em prol da INTIMIDADE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário