domingo, 13 de setembro de 2015

GOD

video

Regra Básica de Tolerância Religiosa: Deus é um e todos ao mesmo tempo... Deus é PLENO em toda a Sua SINGULARIDADE... Deus é PLENO em toda a Sua PLURALIDADE... Deus é um, dois e três... Deus é um em todos... Deus é todos em cada um de nós.

Deus existe (e+ou) deus não existe é uma tautologia-paradoxal, ou seja, uma VERDADE UNIVERSAL que não deveria existir, mas existe...

AUTOR DO TEXTO: Denio Medeiros de Araújo. 

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

LOVE x HATE


Ninguém nasce odiando outra pessoa
pela cor da pele,
ou por sua origem, ou sua religião.
Para odiar, as pessoas precisão aprender,
e se elas aprendem a odiar,
podem ser ensinadas a amar,
pois o amor chega mais naturalmente
ao coração humano do que o seu oposto.
A bondade humana é uma chama que pode
ser oculta, jamais extinta.

(Nelson Mandela)


FONTE DO TEXTO: ROSSI, Marcelo; ÁgapeSão Paulo: Editora Globo; 2010.

domingo, 6 de setembro de 2015

SEPTEMBER: MONTH OF THE BIBLE


O tema proposto  para o mês da Bíblia de 2015 é o Evangelho segundo João (Jo), sob a perspectiva do discípulo missionário, conforme o enfoque do Projeto de Evangelização: "O Brasil na Missão Continental". O tema escolhido fundamenta-se nos cinco aspectos essenciais do processo do discipulado: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o seguimento, a comunhão fraterna e a missão.

O lema "Permanecei no amor, para dar muitos frutos" (cf. Jo 15, 8-9) foi indicado pela comissão bíblico-catequética, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), juntamente com as instituições bíblicas, entre elas o Serviço de Animação Bíblica (SAB/Paulinas).

João cita aproximadamente 36 vezes a palavra "vida", mais que o dobro dos outros Evangelhos e geralmente vem acompanhada da expressão "eterna" (aproximadamente 17 vezes). A vida eterna não é somente a vida após a morte, mas é viver o nosso cotidiano conforme o projeto de Deus, que deseja vida plena aqui e agora. Como dizia uma canção popular: "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer". Por isso, a tradição associou o quarto evangelho à águia, capaz de atingir os mais altos cumes celestes, mas com o olhar penetrante na profundidade terrestre. O leitor precisa de asas para elevá-lo ao alto, mas é necessária a capacidade de discernir a realidade daqui de baixo.

O Filho Unigênito, a Palavra que vem de Deus, o enviado do Pai, encarnando-se na história e retornando ao Pai como o Filho Glorioso e Todo Poderoso, envia o Espírito sob os discípulos para que possam continuar a sua missão, como anunciadores do Reinado de Deus. Nós também somos convidados a crer que Jesus Crucificado é o Glorificado e Ressuscitado, e acreditar no seu plano salvífico, que envolve a todos e à totalidade do ser humano.

Em Jo 20, 30-31, o autor apresenta a finalidade do quarto Evangelho: "Jesus fez ainda, diante de seus discípulos, muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Esses, porém, foram escritos para crerdes que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu  nome". Deste modo, acredita-se que a finalidade era orientar o posicionamento da comunidade, a partir dos critérios apresentados por Jesus de Nazaré. Critérios que apontam para a certeza da vida, para quem é fiel a Jesus e se envolve na comunidade. Mas, não deixa de ser intrigante, pois essa comunidade, por causa de sua fé, pelo fato de seguir alguém que foi crucificado e humilhado, está sujeita  às mesmas humilhações e perseguições.

Assim, diante deste contexto, o quarto Evangelho quer fortalecer a adesão, o acreditar em Jesus Cristo, para resistir às perseguições e pressões, mantendo a fidelidade ao seu projeto de vida, e vida em abundância...

FONTE DO TEXTO: INFORMATIVO DA PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ DE CAICO-RN / O NOVO MILÊNIO - ANO XVI - Nº 220 - SET-2015 (SAB - Serviço de Animação Bíblica)

HIPOCRISY


Assistam os vídeos até o fim e valei-me Nossa Senhora.

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Uma verdadeira CAGADA MONUMENTAL...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...



 AUTOR DO TEXTO: Denio Medeiros de Araújo.
FONTE DOS VIDEOS: Internet e Redes Sociais.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

O QUE É A LITURGIA EUCARÍSTICA?


A resposta imediata seria "é a terceira parte da missa", a que começa com a preparação das oferendas e termina com a oração após a comunhão. Mais importante, no entanto, é dar-nos conta de que não existiria a terceira parte se não tivéssemos a primeira (ritos iniciais), a segunda (liturgia da Palavra) e também a quarta parte (ritos finais). A liturgia eucarística celebra, por meio de ritos, gestos e orações, o sacrifício e a ceia pascal de Cristo. Para celebrar momento tão importante, a Igreja revive as mesmas ações e os mesmos gestos de Jesus em sua última ceia com os discípulos: estando para ser entregue, ele tomou o pão e o vinho em suas mãos, deu graças, partiu e distribuiu aos seus discípulos, pedindo que comessem e bebessem o seu Corpo entregue e o seu Sangue doado pela nossa salvação.

São, portanto, três momentos bem distintos e complementares, aos quais correspondem as três grandes partes da liturgia eucarística: a) "tomou o pão e o vinho" - preparação das oferendas; b) "deu graças" - prece eucarística; c) "partiu e distribuiu" - rito da comunhão.

A assembleia reúne-se para celebrar (ritos iniciais), escuta a Palavra e responde a ela (liturgia da Palavra), apresenta seus dons, louva e dá graças, parte e reparte o pão e o vinho (liturgia eucarística) e, fortalecida e alimentada, parte em missão (ritos finais).

Desconhecer essa estrutura pode resultar, para muitos fiéis, em considerar a missa uma "coisa chata", sem começo nem fim. Quando a conhecem, podem ver que toda a celebração está organizada segundo uma lógica que lhes permite adentrar no mistério.

Lembremos o episódio dos discípulos de Emaús (cf. Lucas 24, 13-35): os dois discípulos caminham de Jerusalém para Emaús (ritos iniciais). No caminho aparece-lhes Jesus, que lhes explica a Escritura (liturgia da Palavra). Jesus é convidado para permanecer com eles em casa e, na hora da ceia, ao partir o pão, os olhos deles se abrem e reconhecem o Senhor ressuscitado (liturgia eucarística). Os dois imediatamente partem para Jerusalém e testemunham "Ele está vivo!" (Ritos Finais).


AUTOR DO TEXTO: Pe. Carlos Gustavo Haas.
FONTE DO TEXTO: SEMANÁRIO LITURGICO-CATEQUÉTICO - O DOMINGO (ANO LXXXIII - REMESSA XI - 23/08/2015 - Nº 40).