magazinedmtech

domingo, 9 de agosto de 2015

SILENCE

RITUAL DA MISSA


O Missal Romano sugere inúmeros momentos de silêncio na missa. No ato penitencial, o sacerdote e os fiéis fazem juntos um momento de silêncio antes da oração "Confesso...". Na oração do dia, "todos se conservam em silêncio com o sacerdote por alguns instantes". "Convém que tais momentos de silêncio sejam observados, antes de se iniciar a Liturgia da Palavra, após a primeira e a segunda leitura, ao término da homilia" (IGMR 56). A recomendação ao silêncio na missa é similar ao refrão de resposta de uma ladainha. O silêncio sagrado é um dos elementos significativos da celebração eucarística (cf. IGMR 45).

A ação litúrgica com sua sequência "de breves momentos de silêncio" é um desafio para os dias atuais. Para quem está habituado ao barulho social de nossa época, é difícil perceber o silêncio da liturgia como "espaço de tempo habitado pela presença do mistério". "Não podemos descuidar do silêncio na liturgia" apelava são João Paulo II. O silêncio é EXIGENTE. Encobrir os espaços de silêncio com músicas ou comentários supérfluos é encobrir o essencial.

O silêncio faz parte do universo simbólico e poético da comunicação humana e litúrgica. Seu cultivo é uma arte tanto quanto o bem falar. O silêncio é parte da linguagem do mistério e do amor. É no silêncio que germinam os sentimentos que se transformam em palavras, gestos, atitudes e experiências vitais de amor, alegria, paz, justiça, gratidão, fortaleza, liberdade, como também medo, tristeza e angústia. É no silêncio que se elabora a oração de louvor, de súplica e de perdão. É por meio da experiência do silêncio que as pessoas participam na inteireza do ser.

A assembleia mergulhada nos breves espaços de silêncio, previstos no ritual da celebração, experimenta a ação vigorosa e suave do Espírito, abre a mente, eleva o coração em oração e vivencia a liturgia como dom que vem do Senhor.

O silêncio orante e participativo é fruto de exercício, de abertura e acolhida do mistério de Deus. É fruto do cultivo da sensibilidade ao sagrado. O silêncio é uma atitude de espírito que inspira a missão.

silêncio... o Senhor deseja falar...
ouça!


FONTE DO TEXTO: Frei Faustino Paludo - Assessor de Liturgia da CNBB (SEMANÁRIO LITÚRGICO-CATEQUÉTICO - O DOMINGO - ANO LXXXIII - REMESSA XI - 09/08/2015 - Nº 38)

Nenhum comentário:

Postar um comentário