domingo, 23 de outubro de 2011

Síndrome de Asperger?

A MENTE DE UM PORTADOR DE SÍNDROME DE ASPERGER MUITAS VEZES TORNA-SE A SUA MAIOR PRISÃO.

A Síndrome de Asperger é uma desordem pouco comum, contudo o conhecimento de tal distúrbio é muito importante na prevenção do processo psicológico das crianças. A Síndrome de Asperger geralmente é diagnosticada tardiamente devido a falta de conhecimento por parte dos profissionais da área da saúde mental, como também da família, amigos, colegas de trabalho, entre outros. Esta síndrome é uma categoria bastante recente criada pelos doutrinadores da psicologia e da neurociência e encontra-se em uso há cerca de 15 anos.

A Síndrome de Asperger é bastante confundida com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), Depressão, TAB (Transtorno Afetivo Bipolar), Esquizofrenia, etc. Contudo, não há presença de qualquer atraso significativo no desenvolvimento da fala ou capacidade cognitiva nas pessoas portadoras de Síndrome de Asperger, podendo até mesmo passar a vida toda sendo apenas consideradas pessoas "estranhas" ou "excêntricas" para os padrões típicos de comportamento. Embora essas pessoas não tenham um atraso significativo no desenvolvimento cognitivo, é importante que a criança receba educação especializada o mais cedo possível para auxiliar o indivíduo a contornar os problemas de comportamento que apresenta e também para ajudar a direcionar os campos de interesse e de estudo da criança.

A Síndrome de Asperger é caracterizada por desvios e anormalidades em três amplos aspectos do desenvolvimento: INTERAÇÃO SOCIAL, USO DA LINGUAGEM PARA COMUNICAÇÃO e CERTAS CARACTERÍSTICAS REPETITIVAS OU PERSEVERATIVAS SOBRE UM NÚMERO LIMITADO (PORÉM INTENSO) DE INTERESSES.

Apesar de existirem algumas semelhanças com o Autismo, as pessoas com Síndrome de Asperger geralmente têm elevada habilidade cognitiva e funções de linguagem normais, se comparadas a outras desordens neurobiológicas.

Apesar dos portadores dessa síndrome poderem ter um extremo comando da linguagem e vocabulário elaborado, estão incapacitados de o usar em contexto social e geralmente têm um tom monocórdico (monótono), com alguma nuance e inflexão da voz.

Crianças com Síndrome de Asperger, podem ou não procurar uma interação social, mas têm sempre dificuldades em interpretar e aprender as capacidades da interação social e emocional com os outros.

Alguns sintomas dos portadores desta síndrome são: dificuldade de interação social, comportamento desajeitado ou estabanado, dificuldades em processar e expressar emoções (o que leva pessoas a pensar erroneamente que os pacientes com Asperger não sentem empatia), interpretação muito literal da linguagem, dificuldade com mudanças, perseverança em comportamentos esteriotipados, fixação sobre um número limitado (porém intenso) de interesses. Entretanto, nem todos os portadores de Asperger manifestam todos os sintomas descritos acima.

Sabe aquele famosa frase: "FAÇA AMOR, MAS NÃO FAÇA SEXO!" Na cabeça de uma pessoa adulta com Síndrome de Asperger os papéis se invertem: "FAÇA SEXO, MAS NÃO FAÇA AMOR!" Isso não significa que o paciente tenha uma total e completa apatia quando o assunto é SENTIR EMOÇÕES FORTES, mas fica claro a extrema dificuldade de receber e transmitir sentimentos.

O paciente com Asperger tem uma tendência de transformar tudo em números, teorias, fórmulas, objetos.

AMOR deixa de ser um sentimento romântico ou uma interação socioafetiva para se tornar uma simples equação matemática ou uma reação química no cérebro. E o SEXO na cabeça de um paciente com Asperger pode ser entendido como uma simples troca de fluidos corporais, necessário para a perpetuação da espécie humana.

Podemos definir as tentativas de interação social verbal do portador de Asperger como "PAPOS EXTREMAMENTE BROXANTES!" No que se refere as interações sociais não verbais podemos dizer que são "EXPRESSÕES CORPORAIS EXTREMAMENTE BROXANTES!"

A Síndrome de Asperger é uma verdadeira exterminadora de RELACIONAMENTOS!

No que se refere ao interesse repetitivo ou perseverativo sobre um número limitado, porém intenso, de assuntos, podemos citar o meu envolvimento quase obsessivo com assuntos da competência da Teologia e da Psicologia. Também demonstro muito interesse em música, livros, cinema e INFORMÁTICA.

Caso algum leitor deste BLOG perceba a presença de alguns dos sintomas descritos nesta postagem em membros da família (filho, irmão, neto, etc) ou em si próprio... Podem ficar tranquilos! Apesar do diagnóstico de Síndrome de Asperger (fruto de uma análise criteriosa de um profissional da área de saúde mental) exigir cuidados específicos por parte de todos que convivem com o paciente... Não há necessidade de excessiva preocupação com relação a Síndrome de Asperger! Alguns estudiosos afirmam que grandes personalidades da História possuíam fortes traços da Síndrome de Asperger como o físico Isaac Newton e Albert Einstein, o compositor Mozart, os filósofos Sócrates e Wittgenstein, o naturalista Chales Darwin, o pintor renascentista Michelangelo, os cineastas Stanley Kubrick, Andy Warhol e Tim Burton o enxadrista/xadrezista Bobby Fischer, além do músico Adam Young da banda Owl City.

A Sindrome de Asperger é mais comum no sexo masculino. Na fase adulta, muitos portadores de Asperger podem viver de forma comum, como qualquer outra pessoa  que não possui a síndrome. Há indivíduos com Asperger que se tornaram professores universitários (como Vernon Smith, "Prêmio Nóbel" de Economia de 2002).

No meu caso, particularmente, somente consegui o diagnóstico definitivo de Síndrome de Asperger aos 28 anos de idade. Para piorar a situação também sou portador de TAB (Transtorno Afetivo Bipolar) e TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). O TAB (Transtorno Afetivo Bipolar) é uma doença crônica, ou seja, não existe cura e os episódios maníacos-depressivos (se não tratados) podem ocorrer durante toda a vida do paciente. Já o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) se caracteriza pela presença de uma ou várias manias com diferentes níveis de intensidade. Para todos esses Transtornos há tratamento, porém se faz necessário o acompanhamento psicológico/psiquiátrico contínuo, além do apoio da família, amigos, colegas de trabalho, enfim, todos que acompanham a vida do paciente de perto.

OBS: Não é muito comum, mas pode ocorrer de uma pessoa possuir uma combinação de Transtornos ou Síndromes. Podemos tomar como exemplo o meu caso (TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR + TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO + SÍNDROME DE ASPERGER)

FONTE 1: http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Asperger

FONTE 2: MONOGRAFIA ELABORADA PELO ALUNO PAULO TEIXEIRA DO CURSO DE LICENCIATURA EM PSICOLOGIA DA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO (PORTUGAL).

ADAPTAÇÕES REALIZADAS NO TEXTO: Denio Medeiros de Araújo.




2 comentários:

  1. Gostaria de saber como faço para conseguir um emprego certo, pois já tentei ser professor, dei aulas, mas não tive tranquilidade. Estou no Caps em minha cidade Cruzeiro do Sul, no Acre para tentar ver essa possibilidade de um para meu nome é Sebastião e tenho 37 anos e tenho sindrome de Asperger. Para falar a verdade não sei bem o que gosto de fazer, mas tenho duas filhas para sustentar. Por enquanto só minha esposa trabalha e temo a separação, pois ela não compreende bem o que é sindrome de asperger.

    ResponderExcluir
  2. Eu também sou asperger e passo pela mesma situação mas com a minha mãe, ela não compreende o fato de eu ser agressiva e ter comportamentos diferentes mesmo sabendo que sou asperger. O que eu aconselho é que a informe bem sobre esta sindrome, as dificuldades que só quem é um asperger sabe, se não consegue fazê-lo a falar então escreve.

    ResponderExcluir