magazinedmtech

domingo, 11 de setembro de 2011

ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS!

PERDOAR É UM DOM DE DEUS QUE DEVE SER EXERCITADO PELO SER HUMANO INFINITAMENTE. SOMENTE ASSIM A VIRTUDE DO PERDÃO TRANSFIGURAR-SE-Á EM PERDÃO INCONDICIONAL!
A vida terrena de Jesus e seu ensinamento foram marcados pelo PERDÃO GENEROSO, INCONDICIONAL e SEM LIMITES.

Se somos nós a errar e ofender alguém, Ele deixou claro como é fundamental reconhecer a própria CULPA e PEDIR PERDÃO. Mas o que sempre pedimos a Deus na oração do Pai-Nosso nos leva a pensar sobre como agimos quando são os outros a nos ofender. "Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido".

Jesus diz que não basta perdoar 7 (sete) vezes. Sete é um número simbólico baseado na CABALA, que faz pensar num PERDÃO GENEROSO e PERFEITO, porém LIMITADO. O Mestre nos ensino que devemos perdoar 70 x 7, ou seja, um PERDÃO SEM LIMITES, um PERDÃO de perder a conta ou, melhor dizendo, um PERDÃO de quem não fica CALCULANDO.

Deus certamente não nos perdoa com a medida que nós, em nossa debilidade, usamos para perdoar, pois seu PERDÃO será SEMPRE INFINITAMENTE SUPERIOR ao nosso. A "ENORME FORTUNA" da história são 10 mil talentos, muitas toneladas de OURO, a quantia que o general romano Pompeu tirou da Judeia em 60 a.C. Valor bastantes desproporcional, considerando os 100 (cem) denários, menos de 30 gramas de ouro, que o escravo não consegue perdoar ao companheiro. Somos perdoados por tantas coisas e podemos não conseguir perdoar por tão pouco.

Mas, se não somos nós a limitar o PERDÃO DE DEUS, a questão é: será possível sentir de fato o PERDÃO INCONDICIONAL DE DEUS para conosco, se não conseguimos perdoar quem nos ofende, incluindo nós mesmos? Como é possívem EXPERIMENTAR UM DEUS INFINITAMENTE BOM E MISERICORDIOSO e, ao mesmo tempo, condenar aqueles que também são objeto do PERDÃO DIVINO?

Jesus quer seguidores conscientes, que PRATIQUEM O PERDÃO SEM LIMITES. Pois, se nas quedas houver PERDÃO, haverá também FORÇA para LEVANTAR-SE. E as relações serão GRATUITAS.

E se DEUS continua AMANDO seus FILHOS INCONDICIONALMENTE, quão diferente seria o mundo se nós, cristãos, experimenntássemos de fato Seu PERDÃO. "Perdoai-nos, Senhor, como nós PERDOAMOS" continua sendo um DESAFIO.

AUTOR DO TEXTO: Pe. Paulo Bazaglia, ssp.
TEXTO ADAPTADO POR: Denio Medeiros de Araújo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário