magazinedmtech

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A CURA DAS MÁGOAS DE FAMÍLIA!

Embora nossa família influencie nossos relacionamentos com Deus e com os outros, nem por isso os determina inexoravelmente. Mágoa alguma deve necessariamente nos peralisar. Num recente estudo feito por 984 profissionais da área de saúde mental, a falta de amor e de educação emocional por parte dos pais foi citada como a principal causa de problemas emocionais posteriores. Mas esses mesmos terapeutas observaram que crianças mal-orientadas não estão condenadas a ser adultos bloqueados.
A Sagrada Família - Sinal de AMOR INCONDINIONAL, DIÁLOGO FAMILIAR, UNIDADE e PAZ, que prova que o exemplo existe só precisa ser seguido.

Não temos que ficar enredados nos exemplos de nossos pais nem andar tropeçando em culpas po não termos criado nossos filhos com perfeição. As pessoas não sofrem passivamente suas mágoas, mas podem frequentemente escolher entre deixar-se ferir ou deixar-se ser agraciadas por elas. A título de exemplo, quando trabalhávamos em aconselhamento, constatamos que frequentemente as pessoas apresentavam sintomas de depressão. Se lhes perguntavamos quando é que isso havia começado, apontavam alguma perda e diziam algo como: "Tudo começou quando meus pais faleceram. Depois disso tenho sentido um grande vazio na minha vida." Mais tarde, quando dávamos retiros, daparávamo-nos com pessoas que haviam sofrido as mesmas perdas, mas haviam transformado o sofrimento em oportunidade de crescimento. Por exemplo, encontramos pais adotivos que não só haviam adotado uma criança autista, mas que durante seu casamento foram adotando outras quinze centenas de crianças! Quando lhes perguntei por que adotar tantas crianças, responderam-me: "Somos órfãos e queríamos que nenhuma outra criança sofresse a solidão que sentimos." De outro lado, tínhamos aqueles que vinham à clínica psiquiátrica verdadeiramente abalados pela morte de seus pais e, por outro lado, pessoas que vinham aos nossos retiros e para as quais a morte havia sido um DOM - um DOM que as ajudara a estender suas mãos e a acolher outros mil e quinhentos órfãos.
Jesus curando uma criança. Cristo dizia: "A tua FÉ te salvou!"

Nossa amiga Mary Tanner, da Inglaterra, nos dá o exemplo de como um lar adotivo pode ser edificante para uma criança. Ao longo de anos, os tribunais ingleses foram mandando para Mary uma centena de crianças problemáticas. Ela recebeu esses filhos adotivos porque a outra única opção para eles era a cadeia. Cada uma dessas crianças tinha um distúrbio grave. Por exemplo, um garoto vinha tentando diariamente suicidar-se e várias vezes fora colocado em camisa-de-força. Graças à oração de cura interior para as feridas de sua vida desde o nascimento, ficou completamente curado. Dos cem garotos tocados pelo amor e pela oração de Mary Tanner, apenas quatro retornaram aos tribunais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário